domingo, 30 de agosto de 2015

Silêncio de um enigma

A poesia é tão simples
como implodir a nossa alma
tão simples como fazer amor vestido
desde manhã até ao dia que nasce para morrer
e o amor é tão simples
como juntar dois corpos quaisquer
no silêncio de um enigma
é tão simples como ser um poeta nu
desde o preconceito
até à revolta
que nos pariu pessoas...


Ana Negrão Ferreira


Sem comentários:

Enviar um comentário